2ª Via de Boleto
YPF RINALDI Tecfil
   

Lave seu carro da maneira correta!

Às vezes nos empolgamos e perdemos umas boas horas (e centenas de litros de água) para deixar nosso carro impecável. Normal… quem não gosta de receber elogios por tratar tão bem seu carro? Só é preciso não exagerar muito nos cuidados – e também tomar muito cuidado com o que se ouve por aí.

Carroceria

Comece escolhendo uma sombra, pois se a espuma do sabão ou shampoo secar durante a lavagem, isso pode formar bolhas na pintura. Se a carroceria estiver quente, o ideal é esperar ela refrescar, pois o calor abre os poros do verniz, e a água junto com detergentes podem contaminá-lo.

Feito isso, use jatos de água para tirar as sujeiras mais pesadas. Em seguida encha um balde com água e shampoo automotivo ou sabão neutro (preferência para os com glicerina) e inicie pelo teto, ou seja: lave o carro aos poucos, sempre de cima para baixo. Enxague cada parte cuidadosamente antes de começar outro setor, e para secar utilize um pano de microfibra. Eles são encontrados em supermercados e absorvem mais água. Se não for possível, escolha uma toalha macia e limpa para não criar hologramas (unhas de gato) na pintura.

Um dos pesadelos de todo proprietário é passar por um asfalto muito novo e ganhar algumas manchinhas de piche na lataria do carro. Cuidado para retira-las. Dilua um pouco de querosene em água e passe com um pano apenas nas manchas, pois o querosene retira parte do verniz da pintura. Assim que as manchas saírem, lave o local com água e sabão até ter certeza de que não sobrou nada de querosene.

Se um pássaro ou algum outro elemento biológico emporcou seu carro, limpe o mais rápido possível. Quanto mais a sujeira se solidificar, pior para a pintura.

Chegando nas partes mais baixas, lave os plásticos, as rodas e pneus com água, sabão e escovas, sem utilizar outros produtos à base de óleo que possam prejudicar a borracha. Se as suas rodas forem de liga leve, encerar pode ser uma boa, pois a cera garante brilho e proteção a elas.

Enceramento

Encerar a pintura dá mais brilho, previne o aparecimento de manchas e certamente aumenta sua durabilidade, mas são necessários cuidados. Se seu carro tiver até 6 meses, acabou de ser repintado ou é muito antigo, não use ceras com silicone. O tipo da cera – líquida ou em pasta, para pinturas queimadas ou com repelentes de água – quem decide é você, conforme o tipo de pintura e a sua intenção. Além disso, já existem shampoos automotivos que possuem cera líquida em sua forma.

Num mundo perfeito, o ideal é encerar o carro depois de cada lavagem, com a carroceria bem limpa e seca. A melhor e mais tradicional forma de aplicar é com um pano macio, como o de microfibra, espalhando uma pequena quantidade. Depois de espalhar bem, passe um pano seco, também macio, lustrando com movimentos circulares. As partes plásticas precisam ser protegidas, pois a cera pode causar manchas nelas. 

Polimento

O polimento é muito mais complexo que a simples aplicação de cera, e seu efeito é mais duradouro. Porém, a cada vez que é feito um polimento, uma fina camada de verniz da pintura é perdido, justamente a camada que ofusca o brilho do seu carro. Por isso, faça apenas a cada 12 meses, e com um profissional de confiança, com as ferramentas adequadas.

Interior

Comece limpando com pincel as frestas do painel e lugares que acumulam poeira. Após isso, passe um pano úmido ao redor e aspire o interior, inclusive os bancos. Nunca passe silicone nos plásticos, pois além de acumular poeira, pode causar manchas. Opte por produtos anti-UV, que também podem ser aplicados nas partes plásticas externas.

Mas se os bancos estiverem sujos, o ideal é limpa-los com produtos próprios para este fim, como espumas. Em caso de sujeira pesada emergencial, retire os bancos do carro para lavá-los de verdade, com cuidado para não encharcá-los. E bancos de couro são como pele: além da limpeza convencional, faz bem passar um hidratante (pode ser cosmético mesmo) a cada seis meses, para evitar que ele resseque.

Nos vidros, a dica é usar papéis limpos e macios, ou até mesmo jornal. Caso estejam engordurados, o melhor é passar água com sabão com uma esponja e depois secar… com jornal. Panos limpos e macios servem também, claro, principalmente embebidos em limpa-vidros, mas podem deixar aqueles fiozinhos pequenos e irritantes.

Motor

Não lave constantemente o motor de seu carro, principalmente se estiver pensando em vendê-lo, pois isso não é um bom indício para os conhecedores. Além disso, as centrais eletrônicas e os componentes eletrônicos do motor são sensíveis aos jatos fortes de água. Produtos químicos derivados do petróleo também podem danificar as borrachas e prejudicar o funcionamento da máquina.

Em caso de necessidade, limpe as partes aparentes com um pano embebido com produtos específicos. O óleo de mamona, que aparentemente caiu em desuso, resseca algumas borrachas também. E importante: não faça essa limpeza com o motor ainda quente.

 

Fonte: http://www.jalopnik.com.br

Voltar